quarta-feira, 5 de junho de 2013

AULA 5 - Ondas Sonoras

Segue o conteúdo da próxima aula:

Ondas sonoras (download)

Prazo de envio do comentário: 12/06

51 comentários:

  1. Ondas

    Fenômenos periódicos (repetem-se de tempos em tempos iguais) que transmitem energia de um ponto para o outro sem transportar matéria.

    As ondas sonoras são classificadas como ondas mecânicas as que não se propaga no vácuo (som), elas se propagam em um meio material.

    As ondas sonoras são as que possuem freqüência de vibração entre 20 e 20.000Hz, que naturalmente, são captadas e processadas por nosso sistema auditivo.

    Podemos citar como fontes de ondas sonoras as nossas cordas vocais, as cordas de uma guitarra ou as vibrações da coluna de ar no interior de uma flauta. Um objeto que cai ou o barulho do motor de uma moto que está passando na rua também são fontes de ondas sonoras, mas nesse caso essas fontes não são geradoras de som, mas sim, de ruídos.

    Elemento de uma onda:

    Considera-se período (T) de uma onda o tempo gasto por um pulso de onda para percorrer a distancia de um comprimento de onda , sendo este a distancia entre duas cristas ou dois vales consecutivos.
    V é a velocidade de propagação de uma onda, A, sua amplitude F,a freqüência de oscilação

    A intensidade sonora está associada àquilo que nós comumente chamamos de volume. A diferença entre um som intenso - ou forte - e um som fraco vem da amplitude de vibração da onda. Quanto maior a amplitude da onda, maior a pressão que a onda irá exercer no ar. Isso faz com que os nossos tímpanos vibrem de maneira mais intensa


    Referencias:
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm
    Livro : matéria prima dom Bosco

    Mariana Rosa Gomes
    Enfermagem

    ResponderExcluir
  2. Ondas Sonoras é gerada pela vibração dos corpos. Podemos citar como fontes de ondas sonoras as nossas cordas vocais, as cordas de uma guitarra ou as vibrações da coluna de ar no interior de uma flauta. Um objeto que cai ou o barulho do motor de uma moto que está passando na rua também são fontes de ondas sonoras, mas nesse caso essas fontes não são geradoras de som, mas sim, de ruídos.

    Quando ouvimos alguma música ou a voz de uma pessoa durante uma conversa, somos capazes de distinguir algumas qualidades do som. O som emitido por um contrabaixo é mais grave do que o som emitido por um violino, ou seja, é possível distinguir a altura do som desses dois instrumentos. Também podemos distinguir a intensidade do som: quando escutamos uma música que nos empolga, é muito comum aumentarmos o volume do aparelho de som. E, por último, sabemos muito bem diferenciar o som emitido por instrumentos musicais diferentes, pois eles possuem timbres diferentes.

    Timbres: Quando escutamos um conjunto musical é possível distinguir os sons emitidos por cada instrumento que faz parte da banda, assim como também é possível distinguir o som emitido pelas vozes das pessoas com quem conversamos. A qualidade que nos faz distinguir os sons de diversas origens é definida como timbre.

    A diferença no timbre de diversos sons vem do fato de que as ondas sonoras possuem formatos diferentes. Exemplificando: a forma da onda sonora emitida por um violino é diferente da forma da onda sonora emitida por uma flauta, mesmo que esses dois instrumentos estejam emitindo a mesma nota musical. Observe a diferença entre a forma da onda sonora de um piano e de uma clarineta correspondente à nota dó. As figuras foram obtidas através de um osciloscópio.
    BRUNA VIEIRA DA SILVA ENFERMAGEM
    http://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/ondas-sonoras--a-timbre-altura-e-intensidade.htm

    ResponderExcluir
  3. Ondas sonoras são as que possuem freqüência de vibração entre 20 e 20.000Hz, que naturalmente, são captadas e processadas por nosso sistema auditivo. Que se origina a partir de vibrações do ar que são captadas pelo tímpano com freqüência e amplitudes pré-definidas.

    Intensidade sonora: Se observarmos a propagação de uma onda do ponto de vista geométrico apenas teremos o meio em forma de onda, já ao observa-la do ponto de vista físico teremos que uma onda é basicamente a propagação de energia.

    A intensidade de uma onda é definida como a média no tempo da quantidade de energia que é transportada pela onda, por unidade de área ao logo do tempo.
    Nível de Intensidade e volume

    Devido à grande gama de intensidades as quais o ouvido é sensível, torna-se mais conveniente utilizarmos a escala logarítmica para representar o nível de intensidade sonora, é o decibel (db) que representa um décimo de bel, unidade adotada em homenagem a Alexander Graham Bell.

    Classificação das ondas mecânicas:
    Ainda se pode questionar outras coisas, na natureza a percepção de todos os animais encontra-se na faixa de audição humana?

    A resposta é não, existem animais na natureza com percepções extremamente mais aguçadas que a nossa, como os gatos (60 a 60 KHz), os morcegos (10 kHz a 120 kHz), os golfinhos (10 KHz a 240 KHz) e os cachorros (15 Hz a 50 kHz).

    A sensibilidade não é a mesma nem entre a gente, pois esta faixa de 20 a 20 kHz, é um valor médio, não sendo assim pra todos nós, além de variar drasticamente com a idade.

    Audibilidade humana

    As curvas existentes no audiograma abaixo, são denominadas curvas isofônicas, que expressam como percebemos o nível de intensidade ou pressão sonora.

    A quantidade mínima de energia ou pressão que o nosso sistema auditivo consegue perceber é chamado nível zero da audição humana, e o valor máximo é chamado de nível máximo da audição humana.
    Ariana dos Santos Lima
    Ciências Biológicas
    Referencias: http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA45oAJ/ondas-sonoras

    ResponderExcluir
  4. O fenômeno do batimento

    O fenômeno do batimento, que ocorre quando duas ondas de freqüências próximas são sobrepostas, pode ser facilmente simulado no Mathematica. Seu resultado é um som percebido pelo ouvido como a média das duas freqüências, apresentando uma variação de amplitude numa freqüência que é a diferença entre as freqüências das duas ondas. Para fins educacionais, no exemplo definido abaixo, o comando sobrepõe duas ondas senoidais de freqüências 278Hz e 275Hz.
    Assim, torna-se possível ouvir claramente a variação de amplitude no som produzido. Se variarmos uma das freqüências para aproximá-la da outra, podemos verificar que a diversidade de amplitude é cada vez mais lenta. Trata-se justamente do procedimento adotado pelos músicos para afinar seus instrumentos: tocando a nota levemente desafinada junto com um padrão, haverá produção de batimentos. Ajustando a afinação do instrumento, os batimentos vão se tornando cada vez mais lentos, até cessarem por completo, quando a nota estiver perfeitamente afinada segundo o padrão de acuidade humana. Desta forma, torna-se possível analisar matematicamente para que valor numérico converge o erro relativo entre as freqüências de batimento quando o ouvido humano já não mais percebe variações de amplitude.
    ANGELA BRONDANI/ENFERMAGEM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rev. Bras. Ensino Fís. v.24 n.2 São Paulo jun. 2002

      Excluir
  5. Som

    O som é uma onda, uma vibração ou gerado pela vibração, sendo por exemplo o barulho de uma pessoa falando e outra gritando, escutando não vemos essa vibração, mais a diferença é quanto mais alto for o som, mais vibração será emitida, mais energia é transportada.

    O som grave vai emitir uma frequência mais baixa, já o som mais agudo mais alta será a frequência.

    Uma curiosidade é que o alto-falante é dispositivo que converte oscilação elétrica em oscilação mecânica.

    No experimento do artigo explica como funciona e o que foi usado para explicar como o alto-falante emite som.

    Referência: http://www.ifi.unicamp.br/~lunazzi/F530_F590_F690_F809_F895/F809/F609_2012_sem1/PauloV-Monica_RF1.pdf

    Um exemplo de som é uma vibração, está nas nossas cordas vocais, elas vibram para emitir o som da fala. Assim como um instrumento de cordas.

    O ouvido humano diagnostica três tipos de sons sendo eles o da altura é a percepção do agudo ou grave, intensidade se é forte ou fraco, e também o timbre sons emitidos por instrumentos diferentes, duração se é curta ou longa. O ouvido humano também diagnostica sons agradáveis e desagradáveis. O som é capitado por um pavilhão auricular que é canalizado através do canal auditivo até a membrana do tímpano fazendo a empurrar os ossinhos martelo, bigorna e estribo onde é amplificado as vibrações, transmitidas ao ouvido interno onde as células nervosas são exitadas, sendo transformados em sinais elétricos transmitidas pelo nervo auditivo são levados ao cérebro.



    Referências: http://www.netprof.pt/matematica/pdf/som.pdf
    http://vivafisica.files.wordpress.com/2010/11/ap_som_print_cinza.pdf

    ResponderExcluir
  6. ONDAS SONORAS


    As ondas sonoras tem origem na vibração de um objeto da mesma forma que as ondas correm sobre a água. Os sons ouvidos mais aguçadamente pela orelha humana são de fontes que vibram em frequência entre 500 e 5000 ciclos por segundo (Hz). A orelha humana é um órgão altamente sensível que nos capacita a perceber e interpretar ondas sonoras em uma gama muito ampla de frequências onde a amplitude completa da audição estende-se de 20 a 20.000 Hz (Hertz ou ondas por segundo).
    A frequência da vibração é chamada de tom. Quanto maior a frequência maior o tom. Quanto maior a força da vibração mais alto o som. A intensidade ou altura é medida em decibéis (dB). O ponto em que uma pessoa começa a detectar o som do silencio é 0 dB. As folhas produzem um ruído na faixa de 15 dB, a conversão normal 45dB, o ruído da multidão 60dB, um aspirador de pó 75 dB, e uma perfuratriz pneumática 90dB. A perda de audição pode resultar da exposição prolongada a sons acima de 90 dB. Entre 115 e 120 dB esta o limear que gera a dor.
    O som é produzido por ondas de compressão e descompressão alternadas do ar. Assim, a compressão do ar adjacente de uma corda de violino cria uma pressão extra nessa região, e isso, por sua vez, faz com que o ar um pouco mais afastado se torne pressionado também. A pressão nessa segunda região comprime o ar ainda mais distante, e esse processo repete-se continuamente até que a onda finalmente alcança a orelha.
    A captação do som até sua percepção e interpretação é uma sequência de transformações de energia, iniciando pela sonora, passando pela mecânica, hidráulica e finalizando com a energia elétrica dos impulsos nervosos que chegam ao cérebro.
    O pavilhão auditivo capta e canaliza as ondas para o canal auditivo (serve como proteção e como amplificador de pressão) e para o tímpano.
    Quando se choca com a membrana timpânica, a pressão (que força o tímpano para dentro) e a descompressão (que força para fora) alternadas do ar adjacente à membrana provocam o deslocamento do tímpano para trás e para frente. Logo, o tímpano vibra com a mesma frequência da onda. Dessa forma, o tímpano transforma as vibrações sonoras em vibrações mecânicas que são comunicadas aos ossículos (martelo, bigorna e estribo). Sendo que estas alterações de pressões movem também a membrana espiral basilar levemente e com isso as células ciliadas do órgão espiral movem-se contra a membrana tectória acontecendo o dobramento dos cílios que gera os impulsos nervosos.

    http://www.afh.bio.br/sentidos/Sentidos4.asp

    TORTORA, Gerard J. Corpo Humano: fundamentos de anatomia e fisiologia. Porto Alegre: Artmed, 2000. 4ª ed. 574 p.

    Curso: Enfermagem
    Vanessa Brasil Medeiros

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Ondas sonoras são familiares á nossa existência e faz parte de nosso cotidiano a convivência com corpos que produzem sons. Esses sons podem ser ruídos de choques entre dois corpos ou melodias produzidas por instrumentos musicas. As ondas sonoras necessitam de um meio elástico para se propagarem, e não existe essa propagação no vácuo. Num solido podemos ter ondas longitudinais ou ondas transversais. Como os fluidos (líquido e gases) não suportam tensão de cisalhamento, apenas as ondas longitudinais se propagam neste meio.

    Curso:Fisioterapia
    Aluna Judy Marcella Muradás
    Referencias: http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA45oAJ/ondas-sonoras
    http://www.fisica.ufpb.br/~romero/pdf/18_ondasII_VI.pdf

    ResponderExcluir
  9. Ondas sonoras...
    ondas sonoras sao sons que podem ser ruidos de choque entre dois corpos ou melodias reproduzidas por instrumentos musicais. As ondas se caracterizam por ser um trasporte de energia, associado a uma oscilação da materia.
    Existem 2 tipos de ondas: as transversais são aquelas em que a vibração é perpendicular à direção de propagação da onda e as longitudinais são aquelas em que a vibração ocorre na mesma direção do movimento.
    A intensidade de uma onda é definida como a potencia media trasmitida por unidade de aréa. O ouvido humano pode distinguir, uma da outra, ondas sonoras recebidas com intervalo de tempo de no minimo um decimo de segundo.
    O som é um tipo de onda que necessita de um meio para se propagar, é uma onda longitudinal, que se propaga de forma circuncêntrica, apenas em meios materiais.

    http://www.fisica.ufpb.br/~romero/pdf/18_ondasII_VI.pdf
    http://coral.ufsm.br/gef/Ondas/ondas15.pdf
    Aluna: Monica Machado Biehl
    fisioterapia

    ResponderExcluir
  10. Ondas: Ondas são um tipo de distúrbio ou pertubação que é transmitido através do vácuo ou de um meio de material que carrega algum tipo de energia. Temos dois tipos de ondas, as ondas Mecânicas que são transmitidas apenas em um meio material; e as Não-Mecânicas, que não precisam de um meio de material para se transmitir. Além desses dois, elas também podem ser divididas em Transversais que é em direção da onda, e a Longitudinal que sua direção que a mesma que a sua propagação. O som tem um timbre, ou qualidade que pode ser característico.

    Propagação do Som: O som se transmite em função do meio transmissor. Os sons são conferidos parecidos com o som de água, tem movimentos ondulatórios.

    Referências: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAafEAG/biofisica-audicao
    http://www1.univap.br/spilling/BIOF/BIOF_04_Ondas,%20som%20e%20bioacustica.pdf

    Aluna: Luana Teixeira da Silva
    Curso: Fisioterapia

    ResponderExcluir
  11. TÍMPANO


    O tímpano, membrana timpânica ou até mesmo caixa timpânica, é uma fina membrana encontrado no fundo do orifício auditivo que separa o ouvido externo do médio.
    A exploração dessa membrana pode ser feita por meio da otoscopia, exame visual direto do canal auditivo auxiliado por instrumentos adequados. Sua coloração habitual varia de um cinzento a branqueado.


    O tímpano pode ser perfurado acidentalmente por objetos como o cotonete, ou até mesmo pela ação de aumento da pressão (como o causado por uma explosão, uma pancada ou um acidente ao nadar ou mergulhar) ou redução da pressão.
    Essa perfuração pode causar dor aguda, seguida de hemorragia, perda de audição e zumbidos no ouvido. A perda da audição é a mais grave. O tratamento é realizado via oral por antibióticos para evitar infecção.


    http://www.infoescola.com/audicao/timpano/
    http://www.manualmerck.net/?id=238&cn=1915

    Alice Nunes Carvalho
    Ciências Biológicas

    ResponderExcluir
  12. A fala e o canto são meios de comunicação mais evoluídos de que dispõe o homem. A voz humana desempenha um papel fundamental na integração do homem como ser social, o sons articulados da fala e do canto, muito interessa os sons que não estão relacionados à lingüistica, tal como os sons do riso, da tosse, do choro, do grito, do gemido, do suspiro, do balbuciar, dos estalos com a língua, do bocejo, etc. A compreensão dos mecanismos de produção dos sons pode auxiliar o diagnostico e o acompanhamento dos pacientes.
    Os principais componentes anatômicos do aparelho fonador do homem são: fossas nasais, boca e anexos, úvula, faringe, traquéia, brônquios e bronquíolos, pulmões, músculo da parede torácica, diafragma e músculos abdominais, centros nervosos coordenados da fala e do canto, centro nervosos responsáveis pelo controle da respiração.
    A produção da voz

    Vibração das cordas vocais: A voz é o efeito da corrente de ar que vem dos pulmões através da laringe e da boca acompanhada de vibrações das cordas vocais, que são pregas situadas ao longo das paredes laterais da laringe, tencionadas e posicionadas por vários músculos específicos nos limites da laringe. Durante a respiração normalmente estão abertas.
    Na produção da voz, as cordas vocais estão fechadas. Nesse caso o ar expirado dos pulmões aumenta a pressão logo abaixo das cordas vocais afastando-as para permitir o rápido fluxo aéreo.
    A pressão das cordas vocais diminui, e aproxima novamente, acarretando um aumento de pressão e a repetição de seqüência.
    Livro: Biofisica, Eduardo A.C Garcia, 2002
    http://fatimavoz.no.sapo.pt/
    Aluna: Beatriz
    Curso: Fisioterapia

    ResponderExcluir
  13. Ondas Sonoras :
    As funções do aparelho auditivo estão relacionadas a conversão de uma onda sonora em impulsos elétricos, além de perceber a posição e o movimento de uma pessoa. O aparelho auditivo é dividido em três partes: o ouvido externo, o ouvido médio e o ouvido interno. Onde o ouvido externo é constituído em: pavilhão auricular (orelha) e canal auditivo; o ouvido médio é constituído por três ossinhos (martelo, bigorna e estribo) e o ouvido interno é constituído pela cóclea.
    O ouvido externo é constituído pelo pavilhão auricular (orelha) cuja função é auxiliar a convergência das ondas sonoras para o meato auditivo (canal auditivo). O meato auditivo comporta-se como um tubo fechado, onde na extremidade ocluída está o tímpano, uma membrana que tem a função de transmitir as vibrações mecânicas para o ouvido médio.
    Uma das funções do ouvido médio é fazer que as pressões no lado externo e interno do tímpano sejam iguais, o que é proporcionado por um pequeno tubo que se abre na faringe: a Trompa de Eustáquio. A outra função é produzir um ganho mecânico, isto é, as vibrações captadas pelo ouvido externo devem ser amplificadas pelo ouvido médio a fim de ser melhor percebidas pelo ouvido interno.
    o conjunto de alavancas formado por ossículos: o martelo que transmite as vibrações para frente e para trás da membrana timpânica; a bigorna que recebe tais vibrações para o ossículo seguinte; e o estribo que comunica essas vibrações ao ouvido interno através da janela oval. Esse conjunto de alavancas faz com que a força aplicada pelo estribo sobre a janela oval seja 1,3 vezes maior que aquela aplicada pelo tímpano sobre o martelo.

    (http://www2.ufpa.br/ensinofts/capitulo3.html#Tubos acústicos)

    ResponderExcluir
  14. A intensidade do som é uma propriedade que relacionada à potência (energia por unidade de tempo) de vibração da fonte que emite a onda sonora. A quantidade de energia transportada por uma onda é proporcional ao quadrado da sua amplitude de forma que, para um dado intervalo de tempo, quanto maior a amplitude, maior a intensidade sonora. É a intensidade do som que nos dá a sensação de volume do som. O timbre é a característica sonora que permite distinguir sons de mesma frequência e mesma intensidade, desde que as ondas sonoras correspondentes a esses sons sejam diferentes. Por exemplo: dois aparelhos musicais, violão e violino, por exemplo, podem emitir sons com a mesma frequência, mas com timbres diferentes, pois as ondas sonoras possuem formas diferentes.

    Refêrencias
    http://www.brasilescola.com/fisica/intensidade- timbre-altura.htm

    Aluna: Sabrina Silvério
    Curso: Fisioterapia

    ResponderExcluir
  15. As ondas sonoras são ondas mecânicas que estão constantemente presente em nossas vidas, ou seja, são os sons que ouvimos a todo instante. Como se sabe, as ondas mecânicas são aquelas que necessitam de um meio material para se propagar, ou seja, meios líquidos, sólidos ou gasosos. Dessa forma, pode-se concluir que essas ondas não se propagam no vácuo, pois neste não existe matéria.
    Todos os fenômenos sonoros são produzidos através das vibrações dos corpos materiais, por exemplo: quando falamos, as nossas cordas vocais vibram fazendo com que o ar existente ao redor das cordas vibre, essa agitação se transmite de molécula a molécula do ar até alcançar os nossos ouvidos.

    Deficiência Auditiva:

    Condutiva :
    Quando ocorre qualquer interferência na transmissão do som desde o conduto auditivo externo até a orelha interna. A grande maioria das deficiências auditivas condutivas pode ser corrigida através de tratamento clínico ou cirúrgico. Esta deficiência pode ter várias causa, entre elas pode-se citar: C orpos estranhos no conduto auditivo externo, tampões de cera , otite externa e média, mal formação congênita do conduto auditivo, inflamação da membrana timpânica, perfuração do tímpano, obstrução da tuba auditiva, etc.

    http://www.explicatorium.com/CFQ8/Som_As_ondas.php
    http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/deficiencia-auditiva.htm

    ondas sonoras.
    O ((som)) é o resultado de ondas mecânicas que se propagam com velocidades diferentes por onde passam: no ar (340 m/s), na água (1.500 m/s) e no ferro (5.000 m/s). Ou seja, quanto mais denso o meio, maior a velocidade das ondas mecânicas que, no final das contas, terminam por vibrar nossos tímpanos, nossa micro-oficina auditiva e nossos nervos amplificadores. Como o som viaja 4 vezes mais rápido na água do que no ar, pode-se dizer que, em comparação com o ar, o mar é um domínio mais sonoro do que visual ou olfativo.

    O som que vem das águas.

    A água é um meio que não favorece a visão. No entanto, é excelente para propagar ondas sonoras que nela viajam a uma velocidade cinco vezes superior à sua velocidade no ar. Por ficarem dispersas por áreas muito extensas, esse fator favorece a troca de informações entre baleias de uma mesma espécie.As baleias-jubarte não possuem cordas vocais, como nós. A produção do som ocorre mecanicamente, por meio da passagem do ar pelos canais respiratórios, em especial a laringe. No caso das jubartes, a união de vários sons costuma compor um tipo de "canto", emitido principalmente por machos durante o período de acasalamento. A vocalização das jubartes, que são baleias de barbatanas, é diferente da de outras espécies de baleias e golfinhos, conhecidas como baleias dentadas. Essas espécies também realizam processo semelhante de comunicação, porém utilizam câmaras especiais que possuem no topo da cabeça para emitir estalidos e assobios muito utilizados como sistema de ecolocalização.

    VOCÊ SABIA?

    Apenas os machos da jubarte “cantam”, propriamente. As fêmeas vocalizam sons bem mais simples. Acredita-se que a função do canto nas jubartes seja o de atrair as fêmeas para a cópula. O interessante é que estudos têm demonstrado que a renovação da “canção” do acasalamento se dá a cada novo ciclo reprodutivo, isto é, a cada novo inverno, quando as populações de jubartes que utilizam a costa brasileira, voltam para nossas águas para se reproduzir .
    http://projetobaleias.com.br/site2010/1-4BaleiasFalam.html

    ResponderExcluir
  16. Ondas sonoras

    Ondas sonoras são as que possuem frequência de vibração entre 20 e 20.000Hz, que naturalmente, são captadas e processadas por nosso sistema auditivo. Que se origina a partir de vibrações do ar que são captadas pelo tímpano com freqüência e amplitudes pré-definidas.
    Intensidade sonora
    Se observarmos a propagação de uma onda do ponto de vista geométrico apenas teremos o meio em forma de onda, já ao observa-la do ponto de vista físico teremos que uma onda é basicamente a propagação de energia.
    A intensidade I de uma onda é definida como a média no tempo da quantidade de energia que é transportada pela onda, por unidade de área ao logo do tempo.

    Onde P é a amplitude de pressão,P é a densidade média do ar e a velocidade da onda sonora. Deve-se notar que a intensidade é proporcional ao quadrado da amplitude.
    I = P²
    2pc

    Nível de Intensidade e volume

    Devido à grande gama de intensidades as quais o ouvido é sensível, torna-se mais conveniente utilizarmos a escala logarítmica para representar o (β)
    Onde I◦ é a intensidade sonora mínima que é audível sendo I0 = 10-12 W/ m2

    β = 10log _I_
    I◦

    A unidade de (β) é o decibel (db) que representa um décimo de bel, unidade adotada em homenagem a Alexander Graham Bell.

    ( http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/ )

    Acadêmica: Luana Figueiredo Cardozo
    Curso: Enfermagem

    ResponderExcluir
  17. Ondas Sonoras
    As ondas sonoras se formam a partir de um meio material, meio sólido, líquido ou gasoso, mas elas jamais se propagam no vácuo. Estas ondas são formadas a partir de variações de pressão sobre um material, este produz vibrações, e esta pressão é expressa no ar através de ondas mecânicas.
    Ondas sonoras com frequência menor que 20 Hz, são chamadas de infrassons, e ondas com frequência maior que 20.000 chamamos de ultrassons.
    No meio em que as ondas são formadas a partir de uma pressão sobre um gás, as partículas tendem a colidir, quanto maior a temperatura e a densidade do gás, maior é a velocidade das ondas.
    Nos sólidos as partículas estão fixas umas sobre as outras, contribuindo para uma maior velocidade de propagação das ondas sonoras, sendo maior que a velocidade das ondas em um gás.
    Nos líquidos as partículas estão mais unidas se comparadas com as partículas de um gás, pois estas estão menos ligadas. Comparado com as moléculas de um sólido, neste meio as moléculas estão fixas, as moléculas dos líquidos perdem para esta, pois não estão fixas como acontece no meio sólido.

    Referências:
    http://coral.ufsm.br/gef/Ondas/ondas15.pdf
    http://www.alunosonline.com.br/fisica/as-ondas-sonoras-.html
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm

    Aluna: Taís dos Passos de Moraes
    Curso: Bacharelado em Ciências Biológicas.

    ResponderExcluir
  18. Embora usualmente considerássemos o som em termos de seus efeitos físicos nos nossos ouvidos, esta é uma visão bastante limitada para os nossos propósitos.
    Discutem-se as propriedades físicas do som e as suas aplicações na saúde. Estas aplicações vão desde o uso do estetoscópio ao uso das modernas técnicas ultra-sônicas para estudar o movimento da válvula do coração e "observar" uma criança por nascer (feto). O som é o maior meio de comunicação e nos dá prazer sob a forma de música. Entretanto, a poluição sonora, ou ruídos de níveis indesejáveis, é um problema crescente na sociedade moderna.
    Uma onda sonora é um distúrbio mecânico num gás, num líquido, ou num sólido, que viaja a partir da fonte com alguma velocidade definida. Podemos usar um alto-falante vibrando o ar para frente e para trás, à frequência f, para demonstrar o comportamento do som. As vibrações causam aumentos e decréscimos locais na pressão relativamente à pressão atmosférica. Estes aumentos de pressão, chamados compressões, e decréscimos, chamados rarefações, espalham-se como uma onda longitudinal, que é uma onda em que as variações de pressão ocorrem na mesma direção da onda viajante. As compressões e rarefações podem também serem descritas pelas variações na densidade e pelo deslocamento dos átomos e moléculas das suas posições de equilíbrio.
    O primeiro uso registrado da percussão no corpo humano como um meio de diagnóstico ocorreu no século dezoito por Auenbrugger, se baseou nas suas observações clínicas durante sete anos de diferentes sons que ele produziu pelas pancadinhas no peito dos pacientes em vários lugares. Deve ser mencionado que Auenbrugger era um músico talentoso e que seu pai tinha uma hospedaria. Ele provavelmente aprendeu a técnica de percussão batendo em barrís de vinho do seu pai, e seu ouvido musical provavelmente auxiliou-o na interpretação dos sons .
    Muitos sons da região toráxica podem ser úteis no diagnóstico da doença, o único método disponível para examinar o tórax era sentindo-o com as mãos, percussão e auscultação intermediada com o ouvido diretamente no peito.
    O estetoscópio correntemente em uso está baseado no trabalho original de Laenec. As partes principais de um moderno estetoscópio são o sino, o qual é aberto ou fechado por um fino diafragma, o tubo e as peças auditivas.
    As peças auditivas devem ajustar bem no ouvido porque o escoamento de ar reduz o som ouvido. Quanto mais baixa a frequência, mais significante o escoamento. Escoamentos também permitem ruído de fundo entrar no ouvido. As peças auditivas são usualmente projetadas para seguir ligeiramente a inclinação do canal do ouvido.


    http://www.bertolo.pro.br/Biofisica/Som/ULTRASOM.htm

    Daiane Barreto de Souza -Enfermagem

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Uma onda sonora é sempre gerada por um elemento vibrante.

    O som emitido por um violão, por exemplo, é gerado pelas cordas que vibram. Essas vibrações provocam compressões e rarefações no ar do ambiente, um meio material elástico e deformável, que passam a se propagar, constituindo a onda sonora.

    Onda mecânica- corresponde a uma perturbação na pressão de um meio material;

    Onda longitudinal- as partículas de ar vibram na mesma direção em que a onda sonora se propaga;

    Onda esférica- a onda sonora gerada por essa membrana vibrante irá se propagar em todas as direções do espaço a partir do tambor.

    É bastante comum representarmos uma onda sonora não pela amplitude de vibração das partículas do meio, mais pela amplitude de variação da pressão do meio. Nas regiões de rarefação a pressão é mínima(vale da onda) e nas regiões de compressão a pressão é máxima( crista da onda).

    As ondas sonoras, pelo fato de serem ondas mecânicas, podem se propagar apenas através de maios materiais e, como qualquer onda, sua velocidade de propagação depende de características físicas do meio.

    Nosso corpo possui diferentes órgão capazes de detectar ondas.
    Nossos olhos detectam ondas luminosas, nossa pele é capaz de detectar ondas de infravermelho(ondas de calor) ,e nossos ouvidos são capazes de detectar ondas sonoras.

    Só podemos ouvir um som quando ondas sonoras são captadas pela nossa orelha interna e convertidas em impulsos elétricos que são enviados ao nosso cérebro.

    Se uma onda sonora atinge nossa orelha, essa onda passa a se propagar pelo canal auditivo até atingir o tímpano, uma membrana elástica e flexível. Ao ser atingido pela onda, o tímpano passa a vibrar, como a pele de um tambor, com a mesma frequência da onda sonora.

    Meu comentário foi baseado com a apostila do cursinho de pré-vestibular.

    ResponderExcluir
  21. PORQUE A NOSSA VOZ EM UM GRAVADOR É DIFERENTE DA QUE ESTAMOS ACOSTUMADOS A OUVIR?

    O som precisa de um meio material para se propagar. Ele se propaga através da vibração das partículas do ar e também pode se propagar através de líquidos e sólidos, por meio da vibração de suas partículas. Quando falamos recebemos informações por via aérea (som da voz pelo ar) e por via óssea (pela vibração dos ossos do corpo); dessa forma, o som que ouvimos fica mais grave que o som do gravador, que é mais próximo de como os outros nos ouvem.

    http://www.sbfa.org.br/campanhadavoz/FAQs2011.pdf
    http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/documentos/md/ef/ciencias/2010-08/md-ef-ci-60.pdf

    ResponderExcluir
  22. ONDAS SONORAS E A NOSSA VOZ ...
    Por que estranhamos a nossa voz quando a ouvimos através de um rádio gravador ou de uma fita de vídeo?
    É realmente muito estranho! Ouvir a nossa voz em um gravador é como se estivéssemos ouvindo outra pessoa falar. Ela torna-se irreconhecível.
    Mas, como isso é possível? A voz não saiu da mesma pessoa? Como é que pode mudar tanto assim?
    Na realidade, a voz não sofre alterações, mas a maneira de ouvir a própria voz é que muda.Os sons se propagam através de ondas sonoras, classificadas como ondas mecânicas, já que necessitam de um meio material para se propagarem. Essas ondas são formadas devido à vibração de moléculas, provocada quando alguém, ou alguma coisa, emite um som. Essa vibração vai passando de molécula a molécula, e assim vai propagando o som, formando o que chamamos de ondas sonoras.
    As ondas sonoras são diferentes entre si e essas diferenças darão origem aos diversos tipos de sons que reconhecemos. As diferenças entre as ondas dependem da forma com que o som é emitido, ou, então, dos vários meios de propagação das mesmas.
    EXEMPLO:
    Quando alguém está conversando com você, está emitindo ondas sonoras que se propagam através do ar até o seu ouvido externo. Essas ondas também fazem vibrar a sua membrana timpânica que, por sua vez, provoca a vibração de inúmeras estruturas do ouvido médio e do interno, até alcançar o nervo auditivo, que percebe essa vibração e transmite a informação para o cérebro. No cérebro, a informação será processada e, finalmente, você ouvirá a pessoa com quem está conversando.

    Aluno: Robson Preuss
    Curso: Fisioterapia
    http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/documentos/md/ef/ciencias/2010-08/md-ef-ci-60.pdf

    ResponderExcluir
  23. Ondas sonoras são familiares à nossa existência e faz parte de nosso cotidiano a
    convivência com corpos que produzem sons. Esses sons podem ser ruídos de choque
    entre dois corpos ou melodias produzidas por instrumentos musicais.
    As ondas sonoras necessitam de um meio elástico para se propagarem, e não
    existe essa propagação no vácuo. Num sólido podemos ter ondas longitudinais ou ondas
    transversais. Como os fluidos (líquidos e gases) não suportam tensão de cisalhamento,
    apenas as ondas longitudinais se propagam neste meio.

    Referencias: http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/
    http://www.mundoeducacao.com.br/fisica/ondas-sonoras.htm

    ResponderExcluir
  24. O estetoscópio é um instrumento utilizado por diversos profissionais, como médicos e enfermeiros, para amplificar sons corporais. René-Théophile-Hyacinthe Laennec, médico francês, foi o inventor do estetoscópio. Em 1816, quando o primeiro estetoscópio foi produzido o som transmitido era bem menos nítido, mas já cumpria a sua função. O Estetoscópio capita sons do interior do corpo humano, o som captado auscultador do estetoscópio (parte metálica é encostada no paciente), é amplificado através de uma estrutura interna que imita o ouvido humano, esse som amplificado segue através dos tubos de condução, passa pela haste metálica e pelas olivas auriculares, para então chegar ao ouvido do médico. Sua maior utilidade é na identificação de sons alterados, auxiliando no diagnóstico clínico de algumas doenças. Apenas auscultando o coração ou os pulmões, é possível predizer o diagnóstico de inúmeras alterações fisiológicas, como: taquicardia, estenose aórtica, regurgitação mitral, comunicação interatrial, defeito do septo interventricular, pneumonia, enfisema pulmonar, etc, por isso o estetoscópio torna-se um instrumento indispensável no dia a dia do profissional de enfermagem.

    Helena Aguiar Pereira - Enfermagem
    http://vidasaudavel.blog.br/a-importancia-do-estetoscopio-e-como-prevenir-doencas-cardiacas/

    ResponderExcluir
  25. Em Física definimos ondas sonoras como sendo ondas mecânicas, pois somente se propagam através de um meio material.
    Mas como se formam as ondas sonoras?
    As ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar.
    Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal, pois as moléculas constituintes do meio se aproximam e se afastam umas das outras de forma alternada. Cada secção do meio através do qual passa a onda longitudinal apenas oscila ligeiramente em torno de uma posição de equilíbrio, enquanto a onda propriamente dita pode se propagar por grandes distâncias.
    Frequência e velocidade das ondas sonoras
    Dependendo da fonte emitente, as ondas sonoras podem apresentar qualquer frequência, desde poucos hertz (como as ondas produzidas por abalos sísmicos), até valores extremamente elevados (comparáveis às frequências da luz visível). Porém, nós, seres humanos, só conseguimos ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam compreendidas entre 20 Hz e 20.000 Hz, sendo chamadas, genericamente, de sons.
    Ondas sonoras que possuem frequência abaixo de 20 Hz são denominadas infrassons e as ondas que possuem frequência superior a 20.000 Hz são denominadas ultrassons.
    Intensidade sonora
    Se observarmos a propagação de uma onda do ponto de vista geométrico apenas teremos o meio em forma de onda, já ao observa-la do ponto de vista físico teremos que uma onda é basicamente a propagação de energia.
    A intensidade I de uma onda é definida como a média no tempo da quantidade de energia que é transportada pela onda, por unidade de área ao logo do tempo.
    Uma característica do som é a sua velocidade de propagação. A velocidade de propagação de uma onda sonora não depende da sua frequência, mas, sim, exclusivamente, do meio em que ela se propaga. Assim, podemos dizer que, em determinado meio, as ondas sonoras se propagam com a mesma velocidade.
    Referencias: http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm
    Aluna: Suélen Mendes

    ResponderExcluir
  26. O Estetoscópio

    É o aparelho habitualmente utilizado para realizar a ausculta, biauricular, composto por três peças: receptora, condutora e auricular. A parte receptora, quando em forma de campânula, sem o diafragma, aplicada suavemente sobre o precórdio, melhora a percepção dos ruídos de baixa freqüência. O tubo que compõe a peça condutora, deve ser de material semi-rígido, ter comprimento entre 25 e 30 cm e diâmetro interno de aproximadamente 5 mm.

    Técnica de auscultação

    Tanto quanto possível, deve ser efetuada em ambiente silencioso, com o paciente e o examinador em posições confortáveis, sem pressa e acompanhada de manobras que possam melhor evidenciar determinados eventos.


    Timbre é a característica sonora que nos permite distinguir sons de uma mesma freqüência, porém emitidos por fontes sonoras conhecidas, permitindo-nos identificar o emissor do som.



    Ohana Andrade
    Fisioterapia


    http://www.uff.br/fisio6/PDF/sistema_cardiovascular/bulhas_sopros.pdf
    http://www.brasilescola.com/fisica/intensidade- timbre-altura.htm

    ResponderExcluir
  27. As ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar.
    Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal, pois as moléculas constituintes do meio se aproximam e se afastam umas das outras de forma alternada. Cada secção do meio através do qual passa a onda longitudinal apenas oscila ligeiramente em torno de uma posição de equilíbrio, enquanto a onda propriamente dita pode se propagar por grandes distâncias.

    Dependendo da fonte emitente, as ondas sonoras podem apresentar qualquer frequência, desde poucos hertz, como as ondas produzidas por abalos sísmicos, até valores extremamente elevados, comparáveis às frequências da luz visível. Porém, nós, seres humanos, só conseguimos ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam compreendidas entre 20 Hz e 20.000 Hz, sendo chamadas, genericamente, de sons.

    Mayara Batista Bitencourt
    Curso Enfermagem
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm

    ResponderExcluir
  28. SOM:
    O som é uma sensação percebida pelo cérebro devido à chegada de uma onda sonora no ouvido. A parte da Física que estuda o som é a acústica. As ondas sonoras são longitudinais, isto é, sua direção de propagação é paralela a de vibrações das partículas do meio em que se propaga. A velocidade de uma onda sonora depende das propriedades elásticas e inerciais do meio.
    SURDEZ:
    A Surdez pode ser classificada em três tipos: Surdez de condução,
    Surdez Sensorioneural e Surdez Central.
    Surdez de condução: Ocorre quando há impedimento para a livre transmissão dos sons através dos ouvidos externo e médio. Pode ser diagnosticada testando-se a sensibilidade auditiva do paciente para: sons que seguem o trajeto normal e sons conduzidos por via óssea. As principais causas dessa patologia são: obstrução por acúmulo de cera ou por objetos introduzidos no canal do ouvido, perfuração ou outro dano causado no tímpano, infecção no ouvido médio, infecção, lesão ou fixação dos ossículos dentro do ouvido médio. O que proporciona esta patologia, principalmente, é o acúmulo de cera do meato auditivo externo, fixação dos ossículos à parede do ouvido médio em virtude de processos inflamatórios, espessamento do tímpano e fixação do estribo por crescimento ósseo exagerado.
    Surdez Sensorioneural: Este tipo de patologia ocorre quando o indivíduo é exposto a sons de elevada intensidade durante muito tempo. Nessa situação a perda da audição é maior para altas frequências. Um sintoma comum neste caso, chamado de tinnitus, dá ao indivíduo a sensação semelhante ao som de uma campainha, decorrente do disparo espontâneo e contínuo das células ciliadas. Algumas causas importantes de surdez Sensorioneural: Ruído intenso, infecções bacterianas e virais, certos medicamentos, infecção, lesão ou fixação dos ossículos dentro do ouvido médio, idade, variações de pressão no líquido do ouvido interno pode ocasionar perda gradativa da audição.
    Surdez central: Ocorre quando há lesão das vias nervosas centrais ou do córtex cerebral encarregado da audição.
    REFERENCIAS: http://www2.ufpa.br/ensinofts/capitulo3.html#5 TIPOS DE SURDEZ
    ALUNA: Lara das Neves Heerdt
    CURSO: Ciências Biológicas

    ResponderExcluir
  29. Ondas sonoras ; são as que possuem freqüência de vibração entre 20 e 20.000Hz, que naturalmente, são captadas e processadas por nosso sistema auditivo. Que se origina a partir de vibrações do ar que são captadas pelo tímpano com freqüência e amplitudes pré-definidas.
    Se observarmos a propagação de uma onda do ponto de vista geométrico apenas teremos o meio em forma de onda, já ao observa-la do ponto de vista físico teremos que uma onda é basicamente a propagação de energia.
    http://www.mundoeducacao.com.br/fisica/ondas-sonoras.htm
    http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/documentos/md/ef/ciencias/2010-08/md-ef-ci-60.pdf

    ResponderExcluir
  30. Som
    O som pode ser considerado como uma vibração e os diferentes tipos de som pode ser visto na altura, intensidade e timbre. A altura possibilita que os sons sejam mais graves ou mais agudos, a intensidade é medida pela duração do som e a diferença entre os sons é indicado pelo timbre que nos permite saber a diferença do som que sai de um instrumento ou de uma pessoa.
    Há sons que não podem ser percebidos pela audição humana, estes geralmente são chamados de ultra-som.
    Um som pode soar agradável ou não. A altura do som é muito importante, pois ouvir som muito alto pode prejudicar a audição e o sistema nervoso.
    Cuidado com o fone de ouvido.
    Como saber se o fone esta prejudicando a audição?
    É só observar alguns detalhes, ex: se a pessoa ao lado consegui ouvir a música que esta tocando no seu fone, quando não consegui escutar os sons do ambiente e pergunta muito "ahns", "o que", estes são sinais de que o volume do fone esta muito alto e prejudicando sua audição, nestes casos diminuir o volume é melhor opção para que problemas mais graves não venham acontecer.
    "...A popularização dos foninhos, claro, contribui com o problema. “Apesar de eles serem cada vez menores, a potência de saída de som é muito elevada, acima dos 100 decibéis”, diz o otorrino Daniel Okada, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo. Qualquer barulho maior que 85 decibéis representa risco à audição a partir de duas horas de exposição contínua. Se for um pouco mais alto, 90 decibéis, basta uma hora..."


    Aluna: Laís Bruna
    Fisioterapia

    http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI213783-17933,00-FONE+DE+OUVIDO+PODE+PREJUDICAR+A+AUDICAO.htm

    Pesquisa Integrada(ciências, ecologia, folclore), livro não data edição e autor.

    ResponderExcluir
  31. Biofísica do som

    O som é uma onda e para se propagar precisa de um suporte material. No caso mais habitual o suporte é o ar, mas também pode ser qualquer outro gás, líquido ou sólido.
    O ouvido humano esta responsável em converter os estímulos mecânicos externos e estímulos nervosos. Os estímulos externos são captados pelos órgãos auditivos onde interpretam essa onde e transmite para o cérebro .
    O pavilhão auditivo canaliza as ondas para o canal auditivo e para o tímpano. O canal auditivo serviria como protetor e amplificador de pressão. Quando se choca com o tímpano este movimenta o tímpano para traz e para frente por causa da pressão e descompressão alternadas.
    A membrana basilar possui sustentada nela o órgão de corti que possui células ciliares. O movimento dessas células no sistema coclear(onde se localiza o órgão de corti), fará a transmissão do som ao nervo auditivo.
    As células ciliadas sintetizam certos mediadores químicos que ativam receptores dos neurônios aferentes embaixo das células ciliadas, onde esta será despolarizada. Na audição normal, as despolarizações do neurônio aferente deflagram pulsos que são levados ao SNC. Quanto maior a energia da onda sonora: - maior o movimento da membrana basilar - maior a despolarização do neurônio aferente .
    As diferentes espécies existem no planeta podem ter percepção diferente em relação dos comprimentos de onda do som.
    O som é medido em Hertz, o homem, por exemplo, consegue perceber essa frequência entre 16 à 20.000 hertz.
    As aranhas podem perceber até 40.000 hertz, os golfinhos até 120.000 hertz e assim por diante.

    Aluno: Daniel Prado dos Santos
    curso: Ciências biológicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. referências:


      http://telecom.inescn.pt/research/audio/cienciaviva/constituicao_aaudicao.html

      http://www.slideshare.net/adilatrubat/aula4a

      Excluir
  32. Onda sonora é uma onda mecânica oscilante que necessita de um meio material para se propagar, diferentemente da onda eletromagnética, a onda sonora não se propaga no vácuo, se propagam a partir de variações de pressão do meio.
    Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal, pois as moléculas constituintes do meio se aproximam e se afastam umas das outras de forma alternada. Possui características básicas como: amplitude, crista, vale, ciclo, período, velocidade, frequência, comprimento de onda, intensidade, potência.
    Os seres humanos, só conseguem ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam entre 20 Hz e 20.000 Hz.
    As ondas são divididas em infrassons e ultrassons, sendo respectivamente, ondas que possuem frequência abaixo de 20 Hz e ondas que possuem frequência superior a 20.000 Hz.
    A utilização do estetoscópio na área da saúde: ele é um recurso usado para que não ocorra a perda de intensidade por espalhamento no momento da percepção de sons da caixa torácica. Dessa forma é possível reconhecer qualquer alteração audível na capacidade humana de um paciente relacionada aos batimentos cardíacos e respiração.

    Referências:
    anotações em sala de aula
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm
    http://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/ondas-sonoras--a-timbre-altura-e-intensidade.htm
    http://www.afh.bio.br/sentidos/Sentidos4.asp

    ALUNA: Julia Machado Rufino
    Curso: enfermagem

    ResponderExcluir
  33. Você já deve ter ouvido falar que cantores líricos conseguem quebrar uma taça de cristal usando apenas o som emitido por sua voz. Será que isso é possível?

    Como já sabemos, o som é uma onda mecânica que se propaga em meios materiais, essa onda produz vibrações no meio em que se propaga.
    Toda e qualquer onda sonora é capaz de produzir vibrações que estimulam oscilações em corpos situados nas proximidades das fontes. Quando a frequência de oscilação da fonte coincide com a frequência de oscilação natural do corpo, a amplitude de oscilação desse corpo atinge valores elevados, pois a fonte progressivamente cede energia ao corpo. Esse fenômeno é conhecido como ressonância.

    Quando a frequência da voz de uma cantora lírica atinge a mesma frequência de vibração das moléculas de uma taça de cristal, a quantidade de energia das moléculas se eleva gradativamente e a taça se quebra.

    Em 1940, uma ponte sobre o rio Tocama, nos Estados Unidos, ruiu quando uma ventania imprimiu sobre ela impulsos periódicos com frequência igual à frequência natural de vibração da ponte.
    Em um violão, o ar contido dentro da caixa de madeira, chamada de caixa de ressonância, vibra com a mesma intensidade do som produzido pela corda, intensificando o som.

    http://www.brasilescola.com/fisica/ressonancia.htm
    http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/fisica/ressonancia-1.php

    Lucas de Figueredo Alberton
    Ciências Biológicas

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Onda sonoras são ondas mecânicas, pois somente se propagam através de um meio material.
    Ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio.
    Por exemplo quando um musico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do ar.
    Por exemplo: quando falamos, as nossas cordas vocais vibram fazendo com que o ar existente ao redor das cordas, vibre, essa agitação se transmite de molécula a molécula do ar até alcançar os nossos ouvidos, é o mesmo que acontece com as cordas de um violão ou de um pano. Eles são fenomenos que acontecem através da vibração de corpos.

    O estetoscópio é um instrumento utilizado por profissionais da área médica para escutar qualquer som vascular, respiratório ou de outra natureza em qualquer região do corpo.

    Referencias
    http://www.infoescola.com/fisica/ondas-sonoras/
    http://educacao.uol.com.br/disciplinas/fisica/ondas-sonora--b-velocidade-do-som-eco-e-limites-de-audibilidade.htm
    http://www.mundoeducacao.com.br/fisica/ondas-sonoras.htm
    http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-funciona-o-estetoscopio

    Gabriela Marcon Nunes
    Ciencias Biologicas

    ResponderExcluir
  36. Onda sonora é uma onda mecânica que necessita de um meio material para se propagar. Assim, diferentemente da onda eletromagnética, a onda sonora não se propaga no vácuo.
    Em Física definimos ondas sonoras como sendo ondas mecânicas, pois somente se propagam através de um meio material. Diferentemente das ondas eletromagnéticas (como, por exemplo, a luz), as ondas sonoras não podem se propagar no vácuo.

    Mas como se formam as ondas sonoras?

    As ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar.

    Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal, pois as moléculas constituintes do meio se aproximam e se afastam umas das outras de forma alternada. Cada secção do meio através do qual passa a onda longitudinal apenas oscila ligeiramente em torno de uma posição de equilíbrio, enquanto a onda propriamente dita pode se propagar por grandes distâncias.

    Ao longo da direção de propagação, a menor distância entre duas regiões nas quais o ar está simultaneamente comprimido corresponde ao comprimento de onda λ da onda sonora. O mesmo se aplica à menor distância entre duas regiões nas quais o ar é rarefeito.

    Frequência e velocidade das ondas sonoras

    Dependendo da fonte emitente, as ondas sonoras podem apresentar qualquer frequência, desde poucos hertz (como as ondas produzidas por abalos sísmicos), até valores extremamente elevados (comparáveis às frequências da luz visível). Porém, nós, seres humanos, só conseguimos ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam compreendidas entre 20 Hz e 20.000 Hz, sendo chamadas, genericamente, de sons.

    Ondas sonoras que possuem frequência abaixo de 20 Hz são denominadas infrassons e as ondas que possuem frequência superior a 20.000 Hz são denominadas ultrassons.

    Existem alguns animais, como o morcego, o cachorro e o gato, que possuem ouvidos sensíveis ao ultrassom. Já os elefantes e os hipopótamos, por exemplo, possuem ouvidos sensíveis ao infrassom.

    Uma característica do som é a sua velocidade de propagação. A velocidade de propagação de uma onda sonora não depende da sua frequência, mas, sim, exclusivamente, do meio em que ela se propaga. Assim, podemos dizer que, em determinado meio, as ondas sonoras se propagam com a mesma velocidade.

    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm

    Karla Suellen da Silva
    Ciencias Biologicas

    ResponderExcluir
  37. Ondas Sonoras
    Já vimos que se os pontos do meio pelo qual passa uma onda oscilam numa
    direção paralela à direção de propagação da onda, ela é chamada de onda
    longitudinal. As ondas sonoras são ondas mecânicas longitudinais que se propagam
    em meios materiais. A onda que se propaga no ar, gerada pelo movimento periódico
    de vai e vem da membrana de um alto-falante e a onda em um sólido qualquer, gerada
    quando golpeamos ritmicamente qualquer região dele, são exemplos de ondas
    sonoras.
    Num referencial fixo no meio, o módulo da velocidade de propagação de uma
    onda mecânica depende das características do meio. No caso em que o meio é um
    gás, as perturbações que formam as ondas são transmitidas de um ponto a outro
    através das colisões mútuas das partículas que formam o gás. Desse modo, quanto
    maior a densidade do gás e quanto mais alta a sua temperatura, maior é o módulo da
    velocidade de propagação das ondas.
    Nos meios sólidos, as partículas constituintes estão presas, a posições fixa,
    pelas interações mútuas. Essas interações propagam com grande rapidez as
    perturbações que caracterizam as ondas mecânicas. Por isso, o módulo da velocidade
    de propagação das ondas sonoras é maior nos sólidos do que nos gases.
    As partículas que formam os líquidos estão menos ligadas umas às outras, em
    comparação com as partículas que formam os sólidos, mas estão mais ligadas se
    comparadas às partículas que formam os gases. Por isso, o módulo da velocidade de
    propagação das ondas sonoras nos líquidos é maior do que nos gases, mas menor do
    que nos sólidos.

    http://coral.ufsm.br/gef/Ondas/ondas15.pdf

    aluna: Daiana torquato
    curso: Ciências biológicas

    ResponderExcluir
  38. Onda sonora
    As ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar. Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal
    O som propaga-se no ar através de um movimento ordenado das partículas que o
    constituem. Quando fazemos vibrar as nossas cordas vocais, ou quando tocamos
    uma nota musical num instrumento, fazemos com que as partículas do ar que
    nos rodeiam entrem numa oscilação3
    que dá origem ao som que ouvimos
    O som surge como um fenómeno ondulatório e só se pode propagar através de
    meio sólido, líquido ou gasoso. A onda é provocada pelas vibrações da fonte do
    som. As ondas sonoras transferem energia por variações de
    pressão.
    Uma onda pode ser representada num gráfico cartesiano, onde o eixo horizontal
    representa a passagem do tempo e o vertical a variação de pressão.

    http://www.netprof.pt/matematica/pdf/som.pdf
    http://www2.ufpa.br/ensinofts/capitulo3.html#5 TIPOS DE SURDEZ
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm

    ResponderExcluir
  39. Ao contrário do que muitos acreditam o ouvido humano não é só responsável pela audição, mas também pelo controle de equilíbrio e pela percepção de movimento. O sistema auditivo consegue trabalhar numa ampla faixa de freqüência e intensidade. Por exemplo, a maior freqüência ouvida é 1000 vezes maior que a menor freqüência audível. Já no caso da gama de intensidade, esta faixa ainda é maior. Só para se ter uma ideia a intensidade do som que causa sensação de desconforto é um milhão de milhão de vezes maior que o som menos intenso detectável pelo ouvido.
    As funções do aparelho auditivo estão relacionadas a conversão de uma onda sonora em impulsos elétricos, além de perceber a posição e o movimento de uma pessoa. O aparelho auditivo é dividido em três partes: o ouvido externo, o ouvido médio e o ouvido interno. Onde o ouvido externo é constituído em: pavilhão auricular (orelha) e canal auditivo; o ouvido médio é constituído por três ossinhos (martelo, bigorna e estribo) e o ouvido interno é constituído pela cóclea.
    A freqüência fundamental de ressonância para do meato auditivo varia de 2.833,33 Hz a 4.250 Hz. Com este resultado podemos supor que neste intervalo de frequências devemos encontrar um mínimo de impedância. A comprovação não experimental deste fato é feita registrando-se o gradiente de pressão máxima nas extremidades do meato em função da freqüência.


    Referência.
    Biofísica do aparelho auditivo: http://www2.ufpa.br/ensinofts/capitulo3.html

    ResponderExcluir
  40. CURSO:CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
    ALUNA:CRISTINA D BOLL

    ONDAS SONORAS.
    Onda sonora é uma onda mecânica que necessita de um meio material para se propagar. Assim, diferentemente da onda eletromagnética, a onda sonora não se propaga no vácuo.
    Em Física definimos ondas sonoras como sendo ondas mecânicas, pois somente se propagam através de um meio material. Diferentemente das ondas eletromagnéticas (como, por exemplo, a luz), as ondas sonoras não podem se propagar no vácuo.
    As ondas sonoras são consideradas ondas de pressão, ou seja, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar.
    Esse tipo de onda é denominado onda longitudinal, pois as moléculas constituintes do meio se aproximam e se afastam umas das outras de forma alternada. Cada secção do meio através do qual passa a onda longitudinal apenas oscila ligeiramente em torno de uma posição de equilíbrio, enquanto a onda propriamente dita pode se propagar por grandes distâncias.
    Ao longo da direção de propagação, a menor distância entre duas regiões nas quais o ar está simultaneamente comprimido corresponde ao comprimento de onda λ da onda sonora. O mesmo se aplica à menor distância entre duas regiões nas quais o ar é rarefeito.
    Dependendo da fonte emitente, as ondas sonoras podem apresentar qualquer frequência, desde poucos hertz (como as ondas produzidas por abalos sísmicos), até valores extremamente elevados (comparáveis às frequências da luz visível). Porém, nós, seres humanos, só conseguimos ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam compreendidas entre 20 Hz e 20.000 Hz, sendo chamadas, genericamente, de sons.

    Ondas sonoras que possuem frequência abaixo de 20 Hz são denominadas infrassons e as ondas que possuem frequência superior a 20.000 Hz são denominadas ultrassons.
    Existem alguns animais, como o morcego, o cachorro e o gato, que possuem ouvidos sensíveis ao ultrassom. Já os elefantes e os hipopótamos, por exemplo, possuem ouvidos sensíveis ao infrassom.
    Uma característica do som é a sua velocidade de propagação. A velocidade de propagação de uma onda sonora não depende da sua frequência, mas, sim, exclusivamente, do meio em que ela se propaga. Assim, podemos dizer que, em determinado meio, as ondas sonoras se propagam com a mesma velocidade.

    www.brasilescola.com

    ResponderExcluir
  41. ONDAS SONORAS
    É uma onda mecânica que necessita de um meio material para se propagar.Diferente da onda eletromagnética. A onda sonora não se propaga no vácuo.
    São consideradas ondas de pressão, ondas que se propagam a partir de variações de pressão do meio. Por exemplo, quando um músico bate em um tambor musical, a vibração da membrana produz alternadamente compressões e rarefações do ar, ou seja, produz variações de pressão que se propagam através do meio, no caso, o ar.

    INTENSIDADE SONORA
    O ouvido é um aparelho capaz de trabalha numa intensa faixa de intensidade que vai do som audível mais fraco até o mais forte tolerável.

    ALUNA:Gislane Tereza de Oliveira.

    http://www.fisio-tb.unisul.br/biofisica/som_audicao
    http://www.brasilescola.com/fisica/ondas-sonoras.htm

    ResponderExcluir
  42. A ausculta torácica é uma técnica diagnóstica muito antiga.Os sons emitidas no estetoscopio são resultados das vibrações pulmonares e das respectivas vias aéreas transmitidas à parede torácica. Eles podem ser divididos primeiramente em: bronquiais ou vesiculares, não existindo padronização na sua descrição.Os sons pulmonares são ferramentas diagnósticas muito preciosas pela sua eficiência, praticidade e baixo custo. A ausculta pulmonar quando associada à inspeção, palpação e a percussão bem feitas oferecem ao profissional de saúde informações, muitas das vezes, decisivas no diagnóstico e tratamento do paciente.
    A evolução tecnológica e dos métodos diagnósticos “enfeitiçam” os profissionais de forma que
    a propedêutica está, cada vez mais, sendo negligenciada. Este fato refl ete em uma maior exposição do paciente a radiações e técnicas invasivas além de um ônus fi nanceiro elevadíssimo no diagnóstico e no monitoramento dos enfermos.

    ResponderExcluir
  43. fonte:http://medicina.fm.usp.br/gdc/docs/revistadc_128_224-231%20864.pdf

    ResponderExcluir
  44. O ouvido externo é constituído pelo pavilhão auricular (orelha) cuja função é auxiliar a convergência das ondas sonoras para o meato auditivo (canal auditivo). O meato auditivo comporta-se como um tubo fechado, onde na extremidade ocluída está o tímpano, uma membrana que tem a função de transmitir as vibrações mecânicas para o ouvido médio.
    Parte da energia sonora que entra no meato auditivo é perdida devido ao atrito com as paredes deste canal, o restante é transmitido a membrana timpânica cujo comportamento é complexo ao vibrar, pois esta não é nem homogênea (mesmas composição em todos os pontos), nem isotrópica (mesmas propriedades físicas em todos os pontos). Por exemplo, algumas regiões são mais densas que outras, algumas regiões são mais tensas e outras são mais flácidas, além de ter regiões com maior ou menor grau de liberdade.
    Uma das funções do ouvido médio é fazer que as pressões no lado externo e interno do tímpano sejam iguais, o que é proporcionado por um pequeno tubo que se abre na faringe: a Trompa de Eustáquio. A outra função é produzir um ganho mecânico, isto é, as vibrações captadas pelo ouvido externo devem ser amplificadas pelo ouvido médio a fim de ser melhor percebidas pelo ouvido interno.
    O ouvido interno é formado pelo labirinto, uma estrutura tubular e preenchida pela endolinfa.

    ResponderExcluir
  45. ONDAS SONORAS
    Em física, uma onda é uma perturbação oscilante de alguma grandeza física no espaço e periódica no tempo. A oscilação espacial é caracterizada pelo comprimento de onda e o tempo decorrido para uma oscilação é medido pelo período da onda, que é o inverso da sua frequência. Estas duas grandezas estão relacionadas pela velocidade de propagação da onda.
    Fisicamente, uma onda é um pulso energético que se propaga através do espaço ou através de um meio (líquido sólido ou gasoso). Segundo alguns estudiosos e até agora observado, nada impede que uma onda magnética se propague no vácuo ou através da matéria, como é o caso das ondas eletromagnéticas no vácuo ou dos neutrinos através da matéria, onde as partículas do meio oscilam à volta de um ponto médio, mas não se deslocam.
    Podemos então dividir as ondas em dois tipos:
    -Ondas mecânicas
    -Ondas eletromagnéticas
    As ondas podem ser classificadas como um movimento harmónico simples.
    No que respeito às ondas mecânicas, dizemos então que elas podem ser:
    -Ondas longitudinais - são aquelas em que a vibração ocorre na mesma direção do movimento; um exemplo são as ondas sonoras. Na figura ao lado podes observar que a vibração provocada pela mão, tem a mesma direção da onda (São ambas horizontais).
    - Ondas transversais - são aquelas em que a vibração é perpendicular à direção de propagação da onda; exemplos incluem ondas numa corda e ondas eletromagnéticas. Na figura ao lado, observas um exemplo onde a vibração provocada é na direção vertical (para cima e para baixo) e a corda desloca-se na horizontal (da esquerda para a direita).
    As ondas sonoras são ondas mecânicas do tipo longitudinal.
    As ondas luminosas são ondas eletromagnéticas.
    As ondas podem ser caracterizadas por:
    - Comprimento de onda
    - Frequência
    - Amplitude
    - Período
    - Velocidade de propagação

    Fonte: http://www.explicatorium.com/CFQ8/Som_As_ondas.php

    Aluna: Milena Cláudia Fagundes - Fisioterapia

    ResponderExcluir
  46. SISTEMA VESTIBULAR E MOTOR OCULAR
    O ouvido interno é dividido em labirinto anterior e posterior.
    O labirinto posterior é composto por dois sistemas de cavidades ósseas: os canais semicirculares e o vestíbulo. Localiza-se no osso temporal e contém em seu interior o labirinto membranoso.
    O aparelho vestibular funciona continuamente, inclusive durante o sono, de forma inconsciente. A assimetria da resposta labiríntica, seja pela estimulação excessiva ou pela hipoestimulação, leva a vertigem, nistagmo e reflexo vagal que são sensações
    conscientes. Funções do labirinto Vestibular:
    1) Transformar as forças provocadas pela aceleração da cabeça e da gravidade em um sinal biológico.
    2) Informar os centros nervosos sobre a velocidade da cabeça e sua posição no espaço.
    3) Iniciar alguns reflexos necessários para a estabilização do olhar, da cabeça e do corpo. Todas essas funções são importantes para o equilíbrio (capacidade de manter a postura apesar de circunstâncias adversas).
    Além do aparelho vestibular periférico, o equilíbrio é também determinado pelos olhos, com sua percepção das relações espaciais,pelos interoceptores (músculos, tendões, articulações, vísceras,...) e pelos esteroceptores da pele. O labirinto ósseo é uma cavidade localizada no osso temporal, onde se encontram cinco órgãos receptores delimitados por uma membrana, constituindo o labirinto membranoso. O espaço existente entre o labirinto ósseo e o membranoso é preenchido por perilinfa, líquido com composição semelhante ao do líquido cefalorraquidiano,enquanto as estruturas do labirinto membranoso contém endolinfa, um líquido rico em K+ e pobre em Na+ e Ca++.
    Os cinco órgãos receptores podem ser divididos em duas unidades anatômicas e funcionais: os canais semicirculares (CSCs) e os órgãos otolíticos – utrículo e sáculo, e seus receptores são as células ciliadas.

    http://megaarquivo.files.wordpress.com/2013/01/labit.pdf
    http://www.forl.org.br/pdf/seminarios/seminario_33.pdf

    Tânia Machado Mathias

    ResponderExcluir